catolicoresp

Apenas defendendo minha fé, e cético em relação aos ateus

Técnica: Cristianismo foi criado para dominação.

with 4 comments

Ir para [Índice de Técnicas/Truques Lógicos] – [Página Inicial]

Essa técnica mostra uma clara e completa falta de conhecimento histórico. O argumento baseia-se em dizer que o Cristianismo é falso porque ele foi criado para dominação social, ou seja, ele foi inventado com esse intuito. Ou seja, os seus fundadores(apóstolos e São Paulo, por exemplo) sabiam que era mentira, mas queriam enganar o povo.

Em primeiro lugar, não afirmei que o Cristianismo nunca foi usado para dominação social, eu disse que ele não foi criado com essa finalidade. Agora vamos avaliar essa afirmação já do início do Cristianismo. Atualmente os historiadores não negam a existência de Jesus Cristo, eles tem dúvidas, sim, sobre seus milagres, mas sua existência não é mais contestada.

Para que a afirmação feita seja real, é necessário que Jesus não tenha ressuscitado, ou ele teria realmente realizado um milagre. Então depois da morte de Jesus Cristo eles teriam inventado a sua ressurreição. Bom, se eles simplesmente saíssem por aí dizendo que Jesus tinha ressuscitado eles seriam facilmente desmentidos, já que o corpo ainda estaria em seu sepulcro e seria só olhar lá dentro e verificar. Portanto, a única explicação plausível é que eles teriam roubado o corpo.

Mas o corpo foi, conforme citado na própria Bíblia, protegido por oficiais romanos treinados pois os fariseus temiam que os apóstolos fossem roubar o corpo. Então lá foram 11 pescadores, passaram pelos guardas romanos sem que eles vissem e roubaram o corpo de Jesus Cristo. Depois saíram, ainda sem os guardas perceberem, e disseram que Jesus tinha ressuscitado. E eles tiveram esse trabalho todo para que? Para serem perseguidos e martirizados, todos os 11(com excessão de João). Porque diabos eles fariam isso? Ser perseguido não é um bom jeito de dominação social, é?

Bom, os apóstolos não foram suficientes? Então comentemos de São Paulo: Perseguidor ferrenho dos cristãos. Até que um dia uma luz aparece para ele, com uma voz e pergunta: “Paulo, Paulo, porque me persegues?”. Os outros que andavam com Paulo viram a luz e escutaram a voz, mas não entenderam o que a voz havia dito(segundo relatos). Bom, ou você irá acreditar que houve uma ilusão coletiva(algo como sonhos coletivos idênticos, na mesma noite) ou que Paulo inventou essa história.

O único caminho lógico é dizer que Paulo inventou a história. Porém, porque ele faria isso? Lá estava Paulo, perseguindo os Cristãos e levando uma vida boa. De um dia para o outro, ele decide que quer ser perseguido pelo governo romano e inventa essa história, deixando de ser perseguidor e passando a ser perseguido e deixando de ter uma vida boa para viver se escondendo. Realmente faz sentido? Não, não faz nenhum sentido. Ser perseguido não é, de modo algum, um bom jeito de dominação social.

Jesus, um dos supostos inventores, morreu na Cruz. Simão Pedro, o primeiro Papa, também morreu crucificado, e São Paulo foi decapitado. A história se repete a praticamente todos os primeiros líderes cristãos: Perseguidos pelo governo, vários foram assassinados. Dizer que eles inventaram isso para dominação é chamá-los de extremamente burros, pois eles realmente conseguiram exatamente o oposto. Ao invés de dominação social, eles conseguiram ser perseguidos… E nem por isso pararam de defender seus pontos de vista! Ou seja, eles acreditaram fortemente e sinceramente no que estavam pregando. Isso já retira a possibilidade de invenção por parte dessas pessoas, que é o objetivo ao refutar essa técnica(não vim aqui discutir sobre os motivos que os levaram a crer… Devo fazer isso em outro post algum dia).

Conclusão:

Esse argumento já está refutado apenas ao se mostrar o que aconteceu aos primeiros Cristãos. Se eles inventaram aquilo tudo para dominação social, porque eles continuaram defendendo o ponto de vista mesmo frente a frente com a morte? Porque eles decidiram piorar suas vidas com algo que eles sabiam ser uma mentira? Dizer que o Cristianismo foi criado para dominação social não faz o mínimo sentido.

Anúncios

Written by catolicoresp

03/05/2011 às 14:00

Publicado em Técnica

Tagged with ,

4 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Até concordo que é muito abusivo afirmar que o Cristianismo, o Islão ou utra religião qualquer tenha sido inventada deliberadamente com um fim em si.

    Se assim fosse era fácil criar novas religiões. Penso que apenas a cientologia foi obra dum só homem e com um fim determinado.

    Reduzir uma religião a uma mera manipulação é ridículo. As religiões surgem e desaparecem.

    O Cristianismo, como o Islão, aparecem num local e espalham-se com uma velocidade extraordinária.

    E, o que é muito importante, moldam a sociedade e são moldadas pela mesma sociedade.

    Claro que para um crente no Islão ou no Cristianismo os fatos descritos nos livros sagrados são verdade. Tão verdade como era para um Egípcio o livro dos mortos.

    No caso do Cristianismo, segundo o seu livro sagrado, diz-se que os apóstolos e mais gente viram prodígios tão grandes que só podem ser explicados por uma intervenção do seu Deus. Mortos que ressuscitaram, o próprio Deus que morre e ressucita, profetas judeus que vão para o céu e, last but not least, a própria mãe de Deus -uma humana- também ascende aos céus.

    Tão real foi tido este relato pelos Cristãos que se deixaram morrer por fé nele. Fé pelo menos tão grande como o dos primeiros seguidores de Maomé que, de acordo com Alcorão viram prodigios inimaginaveis e nunca vistos ou relatados senão em livros de outras épocas.

    Sem poder afirmar com toda a certeza que os livros sagrados do Hinduismo, a Tora, o Alcorão ou mesmo o livro de Mórmon contenha algumas histórias no mínimo duvidosas parece-me ser pacifico que sem uma confirmação de outras fontes externas aos livros os fatos lá relatados precisam mais que a fé dos seguidores para serem fatos.

    Porque tens imensa dificuldade em explicar porque havemos de dar crédito a um cronista que diz que o diabo levou Cristo a um monte tão alto onde se via a terra toda tudo o que tenha escrito corresponda a fatos? Não estaria a relatar o que outros relataram e acrescentaram uns pontos à história? Não podia estar só a exagerar ou mesmo a mentir?

    Repara que não falo só dos Evangelistas mas de Maomé, dos livros dos mortos, do de Mórmon, etc e etc…

    É um bom argumento para quem já acredita mas não muito eficaz para quem é um bocado cético….

    joao melo de sousa

    04/05/2011 at 21:45

    • Até concordo que é muito abusivo afirmar que o Cristianismo, o Islão ou utra religião qualquer tenha sido inventada deliberadamente com um fim em si.

      Se assim fosse era fácil criar novas religiões. Penso que apenas a cientologia foi obra dum só homem e com um fim determinado.

      Reduzir uma religião a uma mera manipulação é ridículo. As religiões surgem e desaparecem.

      O Cristianismo, como o Islão, aparecem num local e espalham-se com uma velocidade extraordinária.

      E, o que é muito importante, moldam a sociedade e são moldadas pela mesma sociedade.

      A gente tem que definir o que são essas “são moldadas” aí, porque atualmente o catolicismo vem sendo bem recriminado pela sociedade(aborto, camisinha, pesquisa em CT, sexo antes do casamento), e essa postura nem de longe foi moldada pela sociedade.

      Claro que para um crente no Islão ou no Cristianismo os fatos descritos nos livros sagrados são verdade. Tão verdade como era para um Egípcio o livro dos mortos.

      No caso do Cristianismo, segundo o seu livro sagrado, diz-se que os apóstolos e mais gente viram prodígios tão grandes que só podem ser explicados por uma intervenção do seu Deus. Mortos que ressuscitaram, o próprio Deus que morre e ressucita, profetas judeus que vão para o céu e, last but not least, a própria mãe de Deus -uma humana- também ascende aos céus.

      Tão real foi tido este relato pelos Cristãos que se deixaram morrer por fé nele. Fé pelo menos tão grande como o dos primeiros seguidores de Maomé que, de acordo com Alcorão viram prodigios inimaginaveis e nunca vistos ou relatados senão em livros de outras épocas.

      Você cometeu um erro aqui ao comparar a fé dos primeiros cristãos e dos primeiros seguidores de Maomé. Temos que fazer algumas comparações…

      Primeiramente, Maomé se recusava a fazer milagres, o que o distinguia muito bem de Jesus Cristo… Os seguidores de Cristo eram testemunhas oculares de seus milagres, já Maomé só teve milagres atribuidos a ele após 100~200 anos da morte dele, pois os cristãos pediam provas de que Maomé era de fato um profeta… Os milagres de Maomé não foram relatadas por testemunhas oculares como os de Cristo.

      Em segundo lugar, vem a pergunta: “Porque, então, Maomé teve seguidores?”. No início ele não teve, e foi expulso(junto dos seguidores dele) de Meca(em 622 d.C), pois Meca era uma cidade politeísta e Maomé não foi bem recebido com a idéia de monoteísmo. Daí ele começou suas conquistas militares, bem sucedidas, entre 622 e 630 e atraiu um grande número de seguidores… Sua popularidade foi resultado disso: lucrativas vitórias militares – compartilhadas com seus seguidores -, sua conduta política e carisma social. Comparemos agora a fé dos seguidores de Cristo e a dos seguidores de Maomé: Os seguidores de Cristo eram pacíficos e perseguidos, o contrário dos seguidores de Maomé.

      Em 632 Maomé morre, e seus seguidores continuam as conquistas militares. No fim das contas: No início do Cristianismo a pessoa poderia ser morta por ser Cristã e no início do crescimento do Islã a pessoa poderia ser morta por não ser mulçumana. As duas fés tiveram crescimento totalmente distinto. Inclusive, as Cruzadas(1100 anos depois do início do Cristianismo) tinham como um dos objetivos reconquistas as áreas tomadas pelos mulçumanos.

      Finalizando: É fácil compreender como uma religião se espalha quando usa meios militares, o difícil é entender como é que uma religião que nos seus primeiros III séculos de existência só viu tortura, perseguição e assassinato contra seus fiéis… Somente se os testemunhos miraculosos fossem muito verdadeiros uma religião perseguida iria crescer dessa forma… Pessoas assustadas, céticas e covardes se tornaram os mais determinados, pacíficos, dedicados missionários que o mundo conheceu.

      Ou seja, sua comparação entre a fé dos seguidores de Cristo e dos seguidores de Maomé é completamente falha.

      Sem poder afirmar com toda a certeza que os livros sagrados do Hinduismo, a Tora, o Alcorão ou mesmo o livro de Mórmon contenha algumas histórias no mínimo duvidosas parece-me ser pacifico que sem uma confirmação de outras fontes externas aos livros os fatos lá relatados precisam mais que a fé dos seguidores para serem fatos.

      É? E eles são tão confirmados quanto a existência de Cristo? Foram tão perseguidos como os primeiros Cristãos? Tem tantas evidências a seu favor, tal como o Novo Testamento possui? (Vide Capítulos 9~12 do livro “Não Tenho Fé Suficiente Para Ser Ateu”).

      Porque tens imensa dificuldade em explicar porque havemos de dar crédito a um cronista que diz que o diabo levou Cristo a um monte tão alto onde se via a terra toda tudo o que tenha escrito corresponda a fatos? Não estaria a relatar o que outros relataram e acrescentaram uns pontos à história? Não podia estar só a exagerar ou mesmo a mentir?

      Em primeiro lugar: Você me diz que eu não consigo(tenho dificuldades) explicar algo que eu nem sequer me propus a explicar! Eu não tratei, nesse post(e em nenhum outro existente até aqui no blog), dos motivos para dar crédito ao livro(inclusive, acabei sendo forçado a citar alguns desses motivos ao te responder).

      Em segundo lugar, ele veio e fez um comentário que não condiz com o post.

      Em terceiro, é relevante para a história da Bíblia se Jesus foi levado a um monte dessa altura ou não? De modo algum. A idéia era mostrar as tentações que Ele sofreu enquanto estava no deserto, e eles foram muito bem sucedidos nisso.

      Em quarto lugar, você mostrou que nem leu o meu texto direito(embora ainda assim se sentisse em condição de refutá-lo) quando diz que eles “acrescentaram uns pontos à história” ou “Não podia estar só a exagerar ou mesmo a mentir?”… A história como estava sendo contada já estava resultando na morte deles, aí os discípulos vão e aumentam os milagres… Pra que? Para serem ainda mais perseguidos e mortos!? Realmente, você acredita nisso?!

      É um bom argumento para quem já acredita mas não muito eficaz para quem é um bocado cético….

      Para um cético em busca da verdade você lê muito mal os textos que chegam à sua frente. Já na minha resposta a você tive que refutar usando o que estava escrito no post, porque você nem deu atenção a simplesmente o principal argumento exposto. Ou você é muito desatento ou muito desonesto.

      catolicoresp

      06/05/2011 at 14:09

  2. […] sido inventado(inclusive os milagres) foi refutada(embora não em todos os aspectos possíveis) aqui e, além disso, não é o foco de discussão desse post. Até porque é possível chegar à mesma […]

  3. […] sonhos e medo do desconhecido” não coincide com a realidade da criação do Cristianismo, como eu já falei. Ao contrário, em sua origem o Cristianismo gerou morte e perseguição dos Cristãos. Ser […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: